Angelina Jolie escreve artigo em memória de Hatidža Mehmedović

Por: Angelina Jolie

Chegou hoje a noticia de que Hatidža Mehmedović, uma sobrevivente da guerra na Bósnia que liderou a Associação das Mães de Srebrenica, morreu em um hospital em Sarajevo.

Conheci Hatidža há quatro anos quando visitei o Memorial de Srebrenica, onde as vítimas do genocídio - o pior massacre em solo europeu desde o Holocausto - estão enterradas. Eu me lembro disso vividamente. Sentada em um círculo junto de outras mães em luto e viúvas de Srebrenica, em silêncio e com a máxima dignidade, contou sua história.

Ela relatou uma imagem da vida antes da guerra, com o marido Abdullah e seus dois filhos Azmir e Almir, que tinham 21 e 18 anos. Ela descreveu os terríveis dias de julho de 1995, quando foram forçados a se separarem dela e mandados para a morte, junto com pelo menos outros 8.000 homens e meninos inocentes. Assim como seu marido e filhos, Hatidža perdeu seu pai, seus dois irmãos e muitos de seus familiares.

Aqueles que realizaram o genocídio se esforçaram bastante para esconder ou destruir os corpos das vítimas. Por 15 anos, Hatidža procurou os restos de sua família. Ela foi uma das primeiras sobreviventes a retornar a Srebrenica. Ela vivia em luto e sozinha, enfrentando ameaças e intimidações, num clima de persistentes tentativas de negar o genocídio.

Ela me disse que quando finalmente encontraram os restos mortais de seu marido e dos dois filhos, tudo o que ela recebeu para enterrar de Almir, seu mais novo, foram dois pequenos ossos da perna. Em vez de me deter na dor do momento, ela simplesmente me disse que se sentia afortunada. Muitas mães, ela disse, ainda careciam desse pequeno consolo.

De muitas formas, Hatidža Mehmedović me lembrou de outras mulheres bósnias que conheci que sobreviveram à guerra, pela forma como combinaram força e resistência profundas com a tolerância e a humildade e a recusa de sucumbirem ao ódio.

Mas Hatidža também foi excepcional. Por 23 anos ela foi uma incansável buscadora da verdade e justiça. Ela nunca reivindicou nenhum status especial, mas falou em nome de todas as Mães de Srebrenica. Ela não fazia distinção entre as vítimas, mas considerava-as todas igualmente dignas e reconhecidas. Mesmo quando a sua saúde falhou, ela trabalhou para organizar comboios de ajuda para levar alimentos e remédios para os refugiados na Síria. Ela morreu antes de seu tempo, com apenas 65 anos de idade, sua morte, sem dúvida, apressada por tudo o que ela tinha sofrido.

Isso é o testemunho da profundidade das feridas da Bósnia que Hatidža viveu, mas não viverá para ver o fim da luta pela justiça e segurança para os sobreviventes de Srebrenica. Outros devem levar adiante o fardo que ela carregou por tantos anos. Mas seu exemplo continuará vivo, nas memórias de todos que a conheceram e nas histórias que todos devemos contar, onde quer que vivamos, para que a memória de Srebrenica nunca desapareça.

Enquanto a sua morte me enche de tristeza e pesar por todas as vítimas da guerra na Bósnia-Herzegovina, tenho a certeza de que não estou sozinha em recordar Hatidža com gratidão e admiração.

Há momentos para enfatizar sobre as muitas lições do genocídio de Srebrenica e onde o ódio violento em relação a qualquer grupo ou pessoas pode levar. Mas enquanto Hatidža foi colocada para descansar e lamentar por seu país, parece um momento para refletir sobre o poder individual de uma única vida.

Hatidža Mehmedović viveu uma vida honesta. Ela nunca permitiu que alguém a assustasse ou corrompesse seu senso de verdade e justiça. Nós também podemos nunca ver justiça em nossas vidas, mas não podemos errar se seguirmos seu exemplo.

Fonte: CNN

Comentários

bap disse…

World's Most Admired 2018: Angelina Jolie to Taylor Swift, top 10 most admired women in the world; See Pics
Updated Jul 26, 2018 | 16:17 IST | Debasish Chakraborty


An UK-based market research and data analytics company, YouGov, recently released its World's Most Admired 2018 list, which was compiled through a survey started in 2015 and involved 37,000 respondents from around 35 countries. Here are the top 10 most admired women from around the world. Angelina Jolie and Michelle Obama the most admired.

https://www.timesnownews.com/international/photo-gallery/worlds-most-admired-2018-angelina-jolie-to-taylor-swift-top-10-most-admired-women-i
silvia simões disse…
Duas grandes mulheres: Hatidza e Angelina. Vozes sem medo de serem caladas. Uma infelizmente nos deixou mas a outra continuará, com certeza, expressando seus pensamentos e seus conhecimentos com coragem como sempre. silvia