Jennifer Lawrence denuncia sexismo em Hollywood e defende Angelina Jolie

Em um artigo escrito por ela para a revista feminista de Lena Dunham (da série Girls), intitulado “Por Que Eu Ganho Menos Que Meus Colegas Masculinos?”, Lawrence protestou contra o fato de homens continuarem ganhando mais que mulheres na indústria cinematográfica.

“Quando se trata do assunto feminismo, eu permaneci sempre quietinha, mas com muita conversa, a mudança vem. Então eu quero ser honesta e franca sobre isso, e dedos cruzados para eu não aborrecer ninguém”, começou o texto. Logo depois ela se refere às suas negociações com a Sony para coestrelar o filme Trapaça, onde ganhou substancialmente menos que os colegas de elenco Jeremy Renner, Christian Bale e Bradley Cooper.

“Quando a Sony foi hackeada e eu descobri o quão menos eu ganhava em relação às sortudas pessoas com paus, eu não fiquei zangada com a Sony. Eu fiquei com raiva de mim mesmo. Eu falhei como uma negociadora porque eu desisti cedo. Eu não queria continuar lutando por milhões de dólares que, francamente, devido a duas franquias [Jogos Vorazes e X-Men], eu não precisava lutar”, disse a atriz.

“Eu estaria mentindo se eu dissesse que o fato de eu querer ser gostada não influenciou na minha decisão de fechar o contrato sem um boa luta”, continuou. “Eu não queria ser vista como ‘difícil’ ou ‘mimada’. Mas eu estou cansada de procurar um jeito de dizer minha opinião de maneira ‘adorável’ e ainda ser simpática. Foda-se isso!”, desabafou.

Jennifer Lawrence também aproveitou para sair em defesa de Angelina Jolie, chamada de “mimada” por um produtor de Hollywood.

“Isso não tem nada a ver com a minha vagina, mas eu acho que não estou completamente errada quando outro e-mail vazado da Sony revelou um produtor se referindo a uma colega de trabalho durante negociações como uma criança ‘mimada’. Por algum motivo, eu não consigo imaginar alguém dizendo isso sobre um homem”.

Comentários