Angelina Jolie concede entrevista direto do Camboja

Entre garfadas de picante cambojano ao curry e peixe frito com arroz, Angelina Jolie Pitt explica como este pequeno país com um passado tumultuado mudou o curso de sua vida.

Ela visitou pela primeira vez o Camboja há 16 anos para atuar em "Lara Croft: Tomb Raider" - com armas em punho, e salto de bungee-jumping, ela deu vida a uma heroína de ação extremamente famosa que fez dela uma estrela. Logo depois, ela adotou seu primeiro filho de um orfanato do Camboja e voltou uma e outra vez em missões humanitárias. Agora, ela está de volta para um outro filme, mas desta vez como diretora, e o assunto está muito longe de Lara Croft.

"Primeiro eles mataram o meu Pai", é baseado em um livro de memórias Khmer Vermelho, escrito pela sobrevivente Loung Ung que narra o genocídio cambojano que aconteceu nos anos 70, do ponto de vista de uma criança. No papel de diretora, Jolie também co-escreveu o roteiro do filme junto com Ung para o Netflix, o filme está em Khmer, com um elenco cambojano, e de acordo com Jolie "é o mais importante" filme de sua carreira. Durante um intervalo das filmagens, ela conversou com a Associated Press sobre como, mais do que nunca, ela se sente uma simbiose gratificante entre sua vida e essa obra.

Em pessoa, Jolie é envolvente, pé no chão, está vestido uma camiseta e uma saia preta longa, seu cabelo está puxado em um coque casual. Ela derruba por terra o estigme do status de celebridade, ao sentar no banco de trás de um SUV, e se espremer no assento do meio para pode acomodar também um repórter ao seu lado, em uma curta viagem de carro a partir do conjunto de tendas, para curtir um almoço ao ar livre junto da tripulação. Ela é descontraída e articulada quando a conversa se volta para o tema atuar e dirigir, trabalho humanitário, maternidade e sua relação especial com o Camboja.

"Quando vim pela primeira vez para o Camboja, isso me mudou. Ele mudou a minha perspectiva. Percebi que havia muito sobre a história da qual eu não tinha sido ensinada na escola, e muito sobre a vida que eu precisava entender, e eu estava muito humilhado por isso ", disse a estrela, que cresceu em Los Angeles, onde ela sentia" um vazio real ".

Ela foi atingida pela graciosidade e pelo calor do povo cambojano, apesar da tragédia que deixou cerca de 2 milhões de pessoas mortas. Durante a filmagem Lara Croft em 2000, algumas cenas exigidas foram feitas com um cuidado excessivo, por causa das minas terrestres, segundo ela, isso foi o que a fez ciente dos perigos que os refugiados enfrentam em países devastados pela guerra. "Essa viagem despertou-me para a realidade de quão pouco eu conhecia e o início de minha busca por esse conhecimento."

Isso a levou a entrar em contato com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados para saber mais sobre o trabalho da agência, antes mesmo de se tornar uma Embaixador da Boa Vontade, em 2001. Posteriormente, em 2012, lhe foi dado um papel mais amplo na organização, o de Enviada Especial.

Foi durante uma viagem precoce ao Camboja dessa vez com a ONU que Jolie teve outra epifania - desta vez sobre a maternidade.

"É estranho, eu nunca quis ter um bebê. Eu nunca quis estar grávida. Eu nunca considerei essa posibilidade. Eu nunca pensei em mim como uma mãe", disse Jolie, agora famosa mãe de seis filhos, com uma risada. Mas enquanto brincava com as crianças em uma escola cambojana, "de repente ficou muito claro para mim que meu filho estava no país, em algum lugar."

Ela adotou Maddox em 2002, um ano mais tarde abriu uma fundação em seu nome, na província de Battambang, que ajuda projetos de saúde, educação e conservação da área rural do país.

Maddox agora com 14 anos, ostentando o que sua mãe chama de "uma faixa loira" - um moicano desgrenhado com a parte superior tingido loiro. Ele se juntou a ela no Camboja para ajudar nos bastidores do projeto que ela vê como uma fusão única de seu trabalho no cinema, família, e seus interesses humanitários.

"Para mim, este é o momento, em que, finalmente, a minha vida está no caminho certo, e eu sinto que finalmente estou onde eu deveria estar", disse Jolie.

Seu carinho pelo Camboja é mútuo, diz o mais célebre cineasta do país Rithy Panh, que acrescenta que o filme "Primeiro eles mataram o meu Pai" será o primeiro épico de Hollywood filmado no Camboja sobre o genocídio ocorrido no país - um sinal de que o governo confia nela para revisitar respeitosamente os horrores do passado.

"Eu não acho que eles autorizaram Hollywood a vir aqui. Eles autorizaram Angelina Jolie. Não é a mesma coisa. Ela é especial. Ela tem uma relação especial com o povo cambojano. Há um respeito mútuo", disse Panh, seu co-produtor.

"Eu me pergunto se ela não é uma cambojana reencarnada", ele ri, então pensei sobre isso. "Talvez. Talvez em uma vida anterior ela tenha sido cambojana."

Ela espera poder voltar para garantir a estréia do filme no Camboja no final do ano, antes de seu lançamento no Netflix.

Comentários

Laisa Nicácio disse…
Eu gostaria de saber o link original dessa entrevista. Grata 😘
Laís Gonçalves disse…
http://mobile.nytimes.com/aponline/2016/02/17/world/asia/ap-as-cambodia-angelina-returns.html?partner=IFTTT&referer=&_r=0
Obrigado Laís, eu estava tentando achar o link original da Associated Press, mas não consegui, nesse do NYT tem a entrevista exatamente igual ao do link original, fico grato por isso.
Brigeth disse…
Achei esta entrevista bastante interessante de Angelina sobre seu filme By the Sea,onde fala muito sobre seu relacionamento familiar e com seu marido Brad Pitt. No meu computador,a tradução é automática,e ficou muito boa.

http://www.buro247.sg/culture/insiders/angelina-jolie-brad-pitt-by-the-sea.html?utm_source=taboola&utm_medium=disqus-widget-safetylevel20longtail01