Crítica: À Beira Mar recebe destaque por seus atores principais

Por Paula Ramos

Antes mesmo de se revelar o nome do filme, ja é informado ao público os sobrenome dos atores que o interpretam. Para muitos, este é o “próximo filme de Angelina Jolie e Brad Pitt juntos” ao invés de apenas À Beira Mar (By The Sea). Este é o terceiro trabalho de Jolie como diretora. Ela assina ainda o roteiro e a produção.

O filme se passa nos anos 70 em uma cidade pequena e interiorana na França. Um casal de americanos de Nova York, ela uma ex-dançarina e ele um escritor buscando sua inspiração, tenta mais uma vez acertar seu relacionamento e resolver os problemas do passado que acabaram desgastando a relação e afastando os dois.

Jolie interpreta (e muito bem) Vanessa, uma ex-dançarina que viu sua vida desmoronar após tentar engravidar duas vezes e não obter sucesso.A infertilidade a deixa fria, perturbada,solitária e até mesmo com asco de seu próprio marido. Brad Pitt por sua vez interpreta o escritor Roland, que busca na viagem uma maneira de salvar seu relacionamento enquanto encontra uma nova inspiração para um livro. A trama ganha emoção com a chegada de vizinhos em lua de mel, François (Melvil Poupaud) e Lea (Mélanie Laurent), que causam inveja principalmente em Vanessa.

Quanto a escolha do cenário, Jolie acertou em cheio. O lugar além de paradisíaco se encaixa perfeitamente na trama que envolve a produção, com sua calmaria e águas azuis contrastando com a personalidade instável da personagem principal . O filme, porém, acaba refletindo o clima bucólico da cidade que o sedia, deixando o público intrigado e esperando que algo grande aconteça. E não acontece.

À Beira Mar narra a história de um casal em crise tentando salvar seu casamento, após a perda dos filhos. A atuação de Angelina como uma esposa problemática merece ser aplaudida de pé, pois é realizada com tamanha naturalidade que leva o público a se perguntar até que ponto ela estava interpretando. razão pela qual talvez o marido tenha sido escalado para o papel. Brad Pitt faz muito bem o papel do esposo paciente e mostra que, para alguns a idade demora a chegar. Seu papel, entretanto,acaba não tendo a atenção necessária diante do destaque da esposa.

O filme é bom e vale a ida ao cinema, porém é longo demais para a história que retrata. Com mais de 2 horas de duração, o motivo que prende o público na cadeira é a possibilidade de um acontecimento significativo no decorrer da trama. O início, meio e fim do filme são basicamente iguais, o que acaba o tornando um pouco cansativo. Usar o casal Jolie-Pitt foi uma bela jogada de marketing, pois talvez não fosse dado tanto destaque ao filme se o mesmo fosse interpretado por outros atores, apesar da brilhante atuação de Angelina.

Brad e Jolie merecem os parabéns também por sua fluência no francês. Diferente de muitos filmes feitos em lugares de línguas não inglesas, onde toda a população miraculosamente fala inglês, em À Beira Mar todos falam francês.

Fonte: Poltrona Nerd

Comentários

Anônimo disse…
As criticas aqui estão boas.

Ansiosa para ver